O Benfica está determinado em continuar a renovar os contratos de jogadores que têm estado em destaque nos últimos tempos. Depois de anunciado o prolongamento da ligação contratual com Nuno Santos, Luís Filipe Vieira quer resolver mais cinco casos: Rúben Dias, Jota, Grimaldo, Taarabt e Ferro.

O jornal A Bola escreve na edição impressa desta quarta-feira que os dossiers de Ferro e Jota são os mais próximos de ficarem fechados, ao ponto de poderem ser anunciadas as renovações muito em breve.

O defesa-central, de 22 anos, que faz dupla com Rúben Dias no eixo defensivo das águias vai ver o seu salário aumentar para 500 mil euros brutos anuais e a cláusula de rescisão deve subir até aos 120 milhões. O novo vínculo deverá ser válido até junho de 2024.

Por seu turno, o processo de Jota tem sido mais complicado. As duas partes já estiveram mais longe do 'fumo branco', mas o acordo parece estar mais próximo. Jota tem contrato, apenas, até junho de 2022 e com uma cláusula de 30 milhões de euros, ao alcance dos 'tubarões' europeus. O Benfica tem a intenção de aumentar a cláusula de rescisão de Jota de 30 para 88 milhões de euros, mas também o salário que atualmente está em 40 mil euros brutos por temporada.

Rúben Dias é outra das prioridades para Luís Filipe Vieira, ainda que o jogador tenha visto o seu contrato ser renovado automaticamente até 2024. O líder da SAD dos encarnados entende que a atual cláusula de rescisão, avaliada em 66 milhões de euros, é curta e, por isso, os responsáveis encarnados querem aumentar este valor, mas para isso terão de aumentar o salário do futebolista para um valor perto dos dois milhões de euros líquidos por temporada.

Grimaldo é, à semelhança de Rúben Dias, um caso delicado. O espanhol tem contrato com os encarnados até 2021 e, segundo a mesma publicação, não demonstrou interesse em renovar contrato com as águias. Os encarnados, porém, não querem correr riscos com um dos jogadores que mais cobiça desperta fora de portas - tem uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros.

Por fim, está o caso de Adel Taarabt. O marroquino esteve para ser dispensado, mas renasceu pela mão de Bruno Lage e tem sido opção regular na equipa benfiquista. É um processo com carácter de urgência uma vez que o médio termina contrato no final desta temporada. Taarabt recebe 200 mil euros brutos por ano, mas terá de baixar consideravelmente o salário para chegar a acordo com os encarnados. A solução poderá passar por um contrato mediante objetivos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.