Luís Filipe Vieira concedeu uma entrevista à CMTV, na qual abordou vários assuntos relacionados com a atualidade do Benfica. O antigo presidente dos encarnados recusou apontar Rui Costa como principal obreiro da boa campanha do clube e deixou elogios a Roger Schmidt.

"Não é ele [Rui Costa] que está a fazer as contratações, basta ver quem fez as viagens, o Rui Pedro Braz. O mérito é de toda a equipa que está lá, nomeadamente a equipa de scouting que é liderada pelo Pedro Ferreira, que tem feito um trabalho fabuloso. O Enzo [Fernández], por exemplo, já estava referenciado, assim como o Darwin também foi referenciado. Eu só negociava e o Rui sabe que eu era forte nisso", afirmou Vieira.

"O que eu deixei no Benfica dificilmente alguém deixará igual. No final do ano o Benfica vai apresentar resultados positivos, não tenho dúvidas. Montámos a estratégia para ter sempre resultados positivos. Dizia-se que dificilmente alguma equipa ganharia ao Benfica em Portugal", acrescentou.

Sobre Roger Schmidt, o antigo líder das águias admitiu estar surpreendido: "Gosto do sistema de jogo. É um homem afável, discurso fácil, direcionado para todos. Tornou o grupo bastante forte. Há miúdos que são titulares, é o que Benfica precisa. Só posso dar os parabéns a quem o contratou, mas no Benfica às vezes a euforia faz mal."

Apesar do bom momento, Vieira prefere colocar um travão na euforia. "O campeonato português é um engano, não tenho a certeza que as equipas pequenas vão tirar pontos aos grandes. Se se mantiver com os pés no chão tem um plantel para ser campeão. Contando sempre para o FC Porto e Sporting, sem esquecer o SC Braga, que é o melhor clube a trabalhar em Portugal", notou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.