Luís Filipe Vieira é suspeito de ter recebido indevidamente "luvas" em transferências enquanto presidia o Benfica, em negócios realizados entre 2012 e 2020. De acordo com a CNN Portugal, estas operações geraram 10 milhões de euros em comissões.

A investigação considera que os agentes Bruno Macedo, Ulisses Santos, Isidoro Gímenez e Giuliano Bertolucci estão envolvidos num processo que permitia a Vieira receber de volta grande parte das comissões.

"A transferência de Seferovic, por exemplo, terá gerado uma comissão de um milhão de euros. E do avançado [Everton] Cebolinha, 1,2 milhões. Na compra de Morato ao São Paulo, a comissão foi de 1,5 milhões. Na venda de Lisandro López ao Boca Juniors, 1,4 milhões de euros", indicam os documentos a que a CNN teve acess, no âmbito da operação Cartão Vermelho.

Na mira da investigação está também a transferência de Julian Weigl do Dortmund para o Benfica, que gerou mais de 2,5 milhões de euros em comissões.

O negócio não teve intermediário, mas os inspetores tributários referem que Vieira sugeriu Ulisses Santos como alegado beneficiário de uma comissão de intermediação, mesmo não tendo qualquer interferência no negócio.

"Eu acho que nós devemos fazer o contrato com o Ulisses cá, que não tem nada a ver com o do outro gajo que representa ou não representa... Nós aqui é que temos de fazer um contrato a dizer que é representante para nós aqui...", disse o então presidente do Benfica, numa escuta telefónica cujo teor é revelado pela CNN.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.