André Villa-Boas congratulou-se por mais um recorde este domingo alcançado, já que o FC Porto bateu a melhor marca de pontos alcançada por uma formação no campeonato a 16 equipas. No entanto, não esquece quem «tenta parar a progressão da equipa».

«Há ânsia das equipas, isso nota-se, de quererem travar a nossa progressão [terminar a Liga invictos], em vez de se preocuparem com o seu próprio campeonato», frisou o técnico na flash interview da SportTV.

Em conferência de imprensa, o treinador subiu o tom das críticas e lançou acusações explícitas ao treinador do Leões."José Couceiro quis nitidamente quebrar a invencibilidade do Porto, como se fosse a coisa mais fácil do mundo, (...) mostrou-se com grande agressividade comunicacional e não teve o respeito devido pelo que está a ser atingido por estes jogadores (...) Foi algo que nos alimentou, agradeço-lhe as palavras, normalmente a focalização devia ser mais nos seus próprios objectivos, o do 3º lugar, mas a diversão foi outra, e na conferência de imprensa de antevisão foi algo que nos tocou de certa maneira e a registamos", afirmou Villas-Boas.

O treinador considerou ainda que, durante o jogo, a sua equipa esteve «a um bom nível», que «soube responder bem à desvantagem», ainda que tenha sido «um curto» período.

«O controlo do jogo foi nosso. Tivemos apenas que ter atenção às bolas que o Sporting colocava nas nossas costas», sublinhou.

"Foi um grande esforço destes jogadores tendo em conta a sobrecarga de calendário que levam, manter-se com estes níveis de controlo emocional, concentração e de agressividade mental é algo que é mérito absoluto deles. Ter a capacidade de resposta perante um clássico desta dimensão com o campeonato resolvido e mantendo-se nesta  sequência de vitórias é algo de notável e só está ao alcance de jogadores com um talento impressionante", acrescentou o técnico dos Dragões em conferência de imprensa.

Sobre Helton, Villas-Boas adiantou que o guardião "vai ser reavaliado amanhã" e reitera total confiança nos outros guarda-redes, caso não esteja disponível para ser titular na baliza dos Dragões. «Estamos satisfeitos com os três guarda-redes», reiterou o técnico na conferência de imprensa.

Sobre as críticas à arbitragem do clássico lançadas por José Couceiro, Villas-Boas considerou que a decisão do árbitro Artur Soares Dias, de não assinalar penálti a uma suposta mão intencional de Rolando, foi "justa". "O Rolando entrou em claro desequilíbrio, chamar áquilo uma mão voluntária acho que não é justo", considerou.

Sobre a ideia do treinador dos Leões, que propôs que as equipas visitantes passem a sentar-se no banco do lado direito, evitando pressões sobre o árbitro auxiliar, Villas-Boas considerou-a "estapafúrdia". "É uma ideia para encher papéis e espaço de jornal amanhã e não tem cabimento nenhum", afirmou.

Em relação à invencibilidade do FC Porto neste campeonato, Villas-Boas voltou a afirmar que esse é um
objectivo que os azuis e brancos querem manter até ao final do
campeonato, mas não é uma "obssessão". "Faltam três jogos mas se acontecer [derrota], aconteceu. O nosso compromisso é ganhar todos os jogos e estamos crentes que correndo bem e mostrando a nossa competência conseguiremos ganhar os três jogos", frisou o treinador.

O FC Porto venceu o Sporting por 3-2 em jogo da 27ª jornada da Liga de futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.