Sempre muito pragmático nas suas análises, Vítor Oliveira reconheceu que o Portimonense não esteve tão bem na primeira parte, mas que na segunda a sua equipa conseguiu ser tão boa como o Benfica.

"O jogo teve duas partes completamente distintas, a primeira e a segunda. Na primeira parte demos 35 minutos de avanço ao Benfica, não existimos, andámos a correr atrás da bola. Não sei o que se passou, tenho de ir ver. Nos últimos dez minutos ainda equilibrámos, mas estávamos a perder de uma forma justa no final da primeira parte. Na segunda melhorámos a circulação, melhorámos o passe e a agressividade e tivemos um período, depois do empate, em que podíamos ter chegado ao 2-1, o que podia ser muito complicado para o Benfica. Não marcámos, marcou o Benfica num livre superiormente marcado. Na parte final o Benfica acabou por fazer o 3-1, o que é natural, estávamos balanceados para a frente. Perder por 1-2 ou 1-3 era igual para nós. Fizemos uma segunda parte mais de acordo com aquilo que pretendemos".

Entrada do Benfica?

O principal foi a pouca posse de bola que tivemos. Quem passa mal, joga mal. Não tivemos agressividade para parar o Benfica que marcou cedo. Na segunda parte conseguimos ser tão bons como o Benfica, pusemos em dúvida o resultado do jogo até aos minutos finais.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.