"É um jogo em que temos tudo a ganhar e nada a perder, por isso, o ideal nesta fase seria a vitória. Esse seria o melhor tónico para o resto do campeonato", referiu Jorge Costa, na antevisão da partida de sábado com o segundo classificado, embora em igualdade pontual com o líder Sporting de Braga.

O treinador dos algarvios frisa que "a motivação para este jogo está no máximo, pois jogar contra o Benfica motiva os jogadores", esperando que em termos de confiança os seus atletas "consigam estar no máximo".

Apesar de a sua equipa ocupar a penúltima posição, com os mesmos pontos do último, o Vitória de Setúbal, Jorge Costa mostra-se determinado em quebrar a série de 11 jogos sem ganhar, oito dos quais para a Liga principal.

"Há já alguns jogos que não fazíamos golos. Essa era sem dúvida uma preocupação minha e da equipa e, pelo menos no jogo do Marítimo, acabou-se esse trauma. Para o jogo de sábado, o nosso objectivo passa por fazer golos, de forma a conquistar três pontos", referiu o técnico.

O responsável assegura que a equipa "rubro-negra" tem condições para ganhar ao Benfica, "sabendo que não é um jogo fácil", pois vai ter pela frente um candidato ao título, que desde o início da época "tem feito bons jogos e conseguido bons resultados".

"Não parece que seja só o seu sector ofensivo forte, mas antes uma equipa que vale pelo seu todo. Mas há a certeza também que temos os nossos argumentos e que os iremos conseguir pôr em campo para dificultar em muito a tarefa do Benfica, lutando até à exaustão pelos três pontos", afirmou Jorge Costa.

"A estratégia ideal era começar o jogo e fazer um golo, bola ao centro e fazer outro e assim sucessivamente", brincou o técnico, acrescentando: "Há que ter cuidados a nível defensivo, mas sem perder a nossa identidade. O ataque do Benfica é fortíssimo, o que exige muita concentração em termos defensivos.

Mas não vamos no sábado passar 90 minutos só com preocupações defensivas, pois temos a nossa identidade".Confrontado com os cinco golos sofridos na derrota na Madeira, Jorge Costa assinalou que esse jogo "não é exemplo".

"Sofremos três mais dois golos. E os golos que sofremos no final foram fruto do acumular de alguns erros, não só da nossa equipa", disse, referindo-se implicitamente à actuação da equipa de arbitragem.

"No final desse jogo dei os parabéns aos jogadores. Acho que fizemos uma hora daquilo que é o verdadeiro Olhanense, do que penso que é uma verdadeira equipa. O importante para mim e para os jogadores é perceber que desde os 15 minutos iniciais até cerca de 15 minutos do fim fomos uma verdadeira equipa, com qualidade, compacta e espírito de sacrifício. É isso que quero e se fizermos isso no sábado as possibilidades de ganhar são elevadas", finalizou o técnico.

O jogo entre Olhanense, 15.º classificado com oito pontos, e Benfica, segundo classificado com os mesmos pontos do líder Sporting de Braga (28), está marcado para sábado, às 21:15, no Estádio José Arcanjo, em Olhão, e será arbitrado por Artur Soares Dias (Porto).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.