Zequinha, avançado do Vitória de Setúbal, afirmou hoje estar confiante de que a decisão de excluir o clube das provas profissionais será revertida pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Quatro dias depois de o organismo ter comunicado que o emblema setubalense não cumpriu os pressupostos financeiros para competir, o jogador, de 33 anos, foi hoje, numa nota enviada à comunicação social, o primeiro jogador a pronunciar-se sobre o tema.

“Não têm sido dias nada fáceis. Depois de vencermos dentro de campo uma batalha tão dura como foi a manutenção, o Vitória FC não merecia passar por esta situação. É um clube centenário, com uma história enorme, que representa uma cidade e uma região. Tenho a certeza de que só há um caminho, que é reverter esta decisão, pois existem vários fundamentos que o justificam”, referiu.

O atacante não esconde que as ligações afetivas ao clube da sua cidade fazem-no viver a situação de forma muito intensa.

“Sou de Setúbal, como sabem, sou dou Vitória FC desde que me conheço e vestir esta camisola é um sonho para mim. Passar por tudo isto mexe muito comigo, é duro, muito duro, não só para mim, como para a minha família, para os meus amigos, para os meus companheiros, para todo o clube, para os vitorianos e setubalenses”, vincou.

Apesar da angústia que sente nestes dias, Zequinha reitera a sua confiança na justiça.

“Se há coisa em que acredito, é que quem merece acaba sempre por ver o seu trabalho recompensado. O Vitória está a fazer o seu trabalho, com todo o empenho e seriedade, e não tenho dúvidas de que a justiça fará o resto, pois a razão está do nosso lado”, disse.

O jogador salientou a importância de todos os adeptos se manterem coesos nesta altura.

“Temos de nos manter unidos e fortes. A família vitoriana está habituada a lutar sempre até ao fim e neste momento há que manter esse espírito. Vamos conseguir manter esta enorme instituição no lugar que merece, que é a I Liga”, vaticinou.

Sendo um dos capitães do Vitória de Setúbal, Zequinha lembrou que a equipa viveu uma época atípica e repleta de dificuldades.

“Foi uma temporada extremamente difícil a todos os níveis. Parece que tudo aconteceu. Tivemos o surto que afastou grande parte do plantel em vésperas do jogo com o Sporting, na primeira volta, por exemplo, a paragem motivada pela pandemia, a retoma que se revelou muito complicada para nós”, admitiu.

Apesar dos percalços e do imbróglio em que o clube está agora envolvido, o avançado reitera o seu otimismo na continuidade do clube na I Liga.

“Foram muitos obstáculos, mas que soubemos superar com muito esforço, trabalho e espírito de sacrifício. É essa a nossa essência, a essência vitoriana. E este é mais um que vamos superar. Muito mal estaria o futebol português se o desfecho não fosse esse”, disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.