Luís Albuquerque afirma que não está nos seus planos apresentar uma lista “por não estarem reunidas as condições” para que tal aconteça.

O líder do actual oitavo classificado da Liga de Honra confessa que não sente interesse por parte das forças vivas da cidade e do concelho, nomeadamente da Câmara Municipal de Ourém e da Junta de Freguesia de Fátima, em ter um clube neste patamar competitivo.

O mesmo sucede com os adeptos que “surgem em igual número quer na II divisão, quer na Liga de Honra, apesar da afirmação do clube”.

Perante este cenário, Luís Albuquerque confirma que já comunicou a sua decisão ao presidente da Assembleia Geral, Nazareno do Carmo.

Ligado aos êxitos do clube nas últimas épocas, primeiro como director desportivo, depois como vice-presidente, o dirigente diz que o lugar do CD Fátima é na Liga de Honra: “Basta as pessoas quererem”.

Luís Albuquerque só aceita ponderar a sua decisão caso surja o “apoio necessário para que o crescimento verificado nas últimas épocas no futebol de formação e na equipa sénior tenha continuidade”.

Contudo, não deixa de alertar que o CD Fátima “não pode estar sem soluções para lá da data das eleições”, correndo o risco de “comprometer a preparação da próxima época”.

Março promete ser o mês de todas as decisões no CD Fátima, que joga o seu futuro dentro e fora das quatro linhas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.