O selecionador nacional de Angola, Gustavo Ferrin, sublinhou esta sexta-feira a importância de Angola vencer sábado o Senegal, para continuar a depender de si nas eliminatórias de acesso à Copa do Mundo de 2014, no Brasil, contando para o efeito com a vontade e profissionalismo dos seus atletas.

Em conferência de imprensa, numa das unidades hoteleiras da capital angolana, após o último treino, Ferrín disse ter convocado um grupo com vários jogadores jovens, mas o trabalho realizado, baseado no coletivismo e no talento individual, garante bom desempeno da selecção angolana.

O uruguaio enalteceu o empenho dos jogadores ao longo da semana de preparação, que “foi muito positiva quanto aos conceitos de jogo”.

Contratado pela FAF em Fevereiro de 2012, para dois anos, o técnico optou por um discurso de vitória, mas admitiu a possibilidade de resultado contrário. O uruguaio referiu que está a preparar um grupo tendo também em conta o futuro, além de que se deve ter caráter suficiente para seguir em frente, independentemente do resultado de sábado. 

«Tenho muita fé neste grupo e no futuro. O que sei é que o presente é já amanhã (sábado) contra o Senegal, enquanto o futuro é de muito trabalho», frisou o técnico que liderou Angola no CAN de Janeiro deste ano, na África do Sul.

Ferrín afirmou que Palancas Negras não temem o jogo aéreo da congénere senegalesa, cuja média de altura é de 1,80 metros. «O jogo aéreo não é a minha maior preocupação no jogo contra o Senegal», disse.

Em março último, Angola empatou fora a uma bola com este mesmo Senegal, também para as eliminatórias de acesso ao Mundial 2014.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.