O selecionador de futebol de São Tomé e Príncipe disse que Cabo Verde jogou o quanto baste para justificar a goleada aos santomenses (7-1) no jogo inaugural do Grupo F de qualificação para o Campeonato Africano das Nações’2017.

Na sua primeira reação ao jogo após esta derrota, António do Rosário "Gimboa" fez questão de ressalvar que tinha dado favoritismo à equipa nacional de Cabo Verde porque conhece de antemão a sua qualidade e defendeu que os "Tubarões Azuis" implementaram rigor e atitude.

Gimboa classificou a seleção de Cabo Verde como uma equipa que, nos últimos anos, cresceu bastante e que leva uma grande vantagem sobre a seleção santomense que, atesta, está a fazer o seu trabalho paulatinamente.

O técnico lembrou que se tratou do seu primeiro jogo como treinador e que a falta de experiência internacional pesou nesta goleada, mesmo que Cabo Verde tenha sabido ganhar com todo o mérito, frisou.

"Vamos continuar a trabalhar para que, no futuro, possamos crescer", enfatizou o técnico santomense.

Já o capitão desta seleção do Equador, Avó, disse que Cabo Verde "soube anular" a forma de jogar do seu coletivo e que jogou o quanto baste para justificar a goleada de 7-1 neste jogo inaugural do Grupo F.

"Defrontámos uma equipa que tem crescido muito a nível da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e da África no 'ranking' da FIFA. Há pouco tempo defrontou Portugal e demonstrou um grande poder no seu jogo", explicou, afirmando que a equipa veio à Cidade da Praia consciente de que tinha pela frente uma equipa forte.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.