A interrupção dos trabalhos decorreu da aprovação pela maioria dos 29 sócios ordinários – apenas a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol votou contra - ao requerimento apresentado pela Associação de Futebol (AF) de Leiria, que solicitou a suspensão desta reunião magna e sugeria que a direcção federativa requeresse a marcação de uma nova AG para 30 de Abril.

Ainda no período prévio à ordem de trabalhos, o presidente da AF Leiria, Júlio Vieira, justificou a sugestão com a necessidade de os sócios voltarem a discutir e votar o projecto de estatutos, depois de prepararem em conjunto uma «redacção final dos três artigos» chumbados a 19 de Março.

«Tem de ser uma reunião com todos, sem excluir ninguém, para que, quando chegarmos à AG, haver uma posição definida. Porque, quando formamos grupo de trabalho, normalmente decidimos uma coisa e chegamos aqui e fazem outra», referiu Júlio Vieira.

Praticamente na sequência, o presidente da FPF, Gilberto Madaíl, também defendeu esta possibilidade: «Era importante que esta assembleia não fosse encerrada, para que as instâncias percebam que este processo ainda não acabou. Se fechamos esta assembleia é que não aprovamos os estatutos dentro dos prazos que nos são dados».

Antes, já o presidente da AF Porto, Lourenço Pinto, tinha considerado «inútil» a discussão de «um regimento eleitoral que está em desconformidade total com os estatutos aprovados na sessão anterior».

No entanto, Carlos Moura Alves, que presidiu à mesa da AG, garantiu que não estaria «prejudicada nenhuma matéria do regulamento eleitoral» e, apesar de admitir que «não sendo possível colocar a discussão e votação uma matéria que já foi encerrada», poderia, «excepcionalmente, dada a importância da matéria, caso estejam todos os sócios presentes e decidam por unanimidade, voltar a ser discutida».

Antes de decidida a interrupção, a AG chumbou um requerimento da APAF, que apelava a que fossem discutidos apenas os três pontos chumbados na especialidade.

A reunião magna de hoje, que contou com a presença dos 29 sócios ordinários, dava continuidade à ordem de trabalhos da assembleia de 19 de Março e contemplava a discussão e votação do regulamento eleitoral decorrente do projecto de adaptação dos estatutos do organismo ao Regime Jurídico das Federações Desportivas.

A 19 de Março, foram chumbados três artigos dos estatutos, referentes à composição e proporcionalidade da AG e a aplicação do método de Hondt na eleição para os conselhos de Arbitragem, Disciplina, Justiça e Fiscal, depois de o projecto de adaptação dos estatutos ter sido aprovado na generalidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.