Vítor Baia acompanhou um grupo de jovens estudantes do Bairro do Cerco na visita à exposição "O corpo humano como nunca o viu", no Centro de Congressos da Alfândega, no Porto. Depois foi a vez dos jornalistas "dissecarem" a posição do ex-guardião do FC Porto quanto a uma candidatura à presidência da FPF.

"Com os actuais estatutos e o peso que as associações têm, será difícil. Se pensarmos onde estavam os principais líderes das associações, estavam na Islândia a ver o jogo de Portugal. Isso quer dizer algo importante e tudo indica para uma recandidatura de Gilberto Madail", lembrou Vítor Baía.

Vítor Baía colocou assim de parte uma possível candidatura, lembrando a necessidade da alteração dos estatutos para que tudo fique mais objectivo.

"Quem quer ser presidente da Federação, não é só porque lhe apetece. Se dependesse da opinião pública a história seria outra. Mas quem quiser ser presidente tem que saber que vai vencer. Com os actuais estatutos, o futebol continua na ilegalidade e só perante um cenário de mudança neste aspecto é que as coisas poderão ficar mais clarificadas", explicou.

Quanto à recandidatura de Gilberto Madail, Baía diz não ter muito a comentar: "Não me agrada, nem desagrada. É o cenário actual e segue a via actual. É o cenário escolhido por quem manda no futebol português. Mantém o mesmo sentido, a mesma orientação e a mesma gestão".

"Para já é o que tenho a dizer", rematou.

Recorde-se que Vítor Baia afirmou, há cerca de três semanas, que estava disponível para ajudar o futebol português.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.