Na sequência dessa entrevista concedida ao semanário Expresso, Amândio de Carvalho decidiu mover um processo no Conselho de Disciplina, cuja decisão foi conhecida no dia 5 de Novembro e resultou na punição de três meses de suspensão a Carlos Queiroz e uma multa de 1250 euros.

O ex-seleccionador, não concordando com o castigo, decidiu interpor recurso para o Conselho de Justiça da FPF, mas este órgão não acolheu as razões invocadas por Carlos Queiroz.

Nessa entrevista, o ex-seleccionador acusava Amândio de Carvalho de “ser a parte visível de uma organização que, em acção concertada, tinha em vista o seu despedimento", e que aquele dirigente decidiu “pôr a cara na cabeça do polvo”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.