“O grupo está confiante, sabemos que chegar aqui foi uma final, mas que temos agora uma oportunidade única e queremos estar no Mundial”, frisou Deco.
Bruno Alves pautou-se pelo mesmo discurso de confiança na presença na África do Sul, garantindo que “o tempo que há para trabalhar é bom para cimentar ideias e vai correr tudo pelo melhor no sábado. A qualificação é o mais importante, independentemente de quem jogue”.

O central alertou ainda para o facto da equipa balcã ser “organizada, valendo pelo colectivo, com o ponto forte no ataque”. “Estamos sempre preparados, vivemos para a competição. E os jogadores estão todos bem”.

A história Ronaldo, que veio a Lisboa na terça-feira para ser visto pelos médicos da Federação e que, ao final de duas horas regressou a Madrid, considerado inapto para a competição, não deixou mazelas no grupo. Tanto Deco como Bruno Alves assumem “que qualquer equipa tem necessidade dos melhores do Mundo, mas o futebol é um jogo colectivo”.

Deco, por seu lado, comentou ainda a entrevista de Nani, ontem ao jornal I, em que o avançado do Manchester United teceu algumas criticas à forma como é tratado na Selecção Nacional.

“É normal, é novo, quer jogar, mas não causou grande impacto no seio do grupo. Às vezes os jogadores mais jovanes não sabem sair da forma mais correcta das entrevistas. Mas o Nani é querido por todos nós, sei que não fez por maldade. Quer jogar, é normal”, disse o jogador do Chelsea.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.