Na entrevista ao semanário, Carlos Queiroz disse que "parecia haver uma acção concertada que começava com o processo" e conduzia ao seu "despedimento", acrescentando que o vice-presidente da FPF Amândido de Carvalho "decidiu pôr a sua cara na cabeça do polvo".

A decisão foi tomada por unanimidade na reunião de hoje, com a duração de três horas, depois de o elenco presidido por Gilberto Madaíl ter decidido “dar cumprimento à decisão” do Conselho de Disciplina em penalizar Carlos Queiroz com um mês de suspensão e uma multa de mil euros por insultos a uma brigada da ADoP (Agência Antidopagem de Portugal).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.