O ex-seleccionador Carlos Queiroz, destituído do cargo a 09 de Setembro, acusou hoje o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) Amândio de Carvalho de “falta de solidariedade”.

“A mesma pessoa veio pedir solidariedade ao presidente e direcção da FPF aquando da queixa para o CD por causa da minha entrevista ao Expresso, mas não a teve com o presidente, a direcção e o seleccionador”, afirmou à Lusa Carlos Queiroz.

Terça-feira, após a reunião da direcção da FPF que indicou Paulo Bento como o novo seleccionador, Amândio de Carvalho disse ter votado contra a nomeação de Queiroz, frisando que sabia no seu íntimo que “não era o técnico indicado”.

“Vem agora o vice-presidente Amândio de Carvalho, jocosamente, confessar a sua oposição sistemática ao bom andamento dos trabalhos da selecção e do seleccionador”, disse Carlos Queiroz.

O treinador luso não entende, face a isto, o porquê de o dirigente ter estado dois anos como vice-presidente com o pelouro das selecções.

“Como é que alguém que se opôs sempre à minha contratação como seleccionador pode ser nomeado para desempenhar as funções que lhe foram atribuídas durante duas anos”, questionou o ex-seleccionador luso.

De acordo com Queiroz, Amândio de Carvalho “não só aceitou desempenhá-las, como andou aos abraços e às festas quando se ganhava e a opor-se e a dizer o que disse agora quando os resultados não eram os que se esperava”.

Perante as declarações do “vice” da FPF, o técnico que levou Portugal ao Mundial2010 deixou um pedido: “Face um apelo aos membros do CD, pelos quais tenho respeito, que tenham em consideração as palavras e comentários feitos há dois dias por Amândio de Carvalho antes de julgarem o processo que resultou da minha entrevista ao Expresso”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.