"Enviámos ontem (segunda-feira) os relatórios à federação portuguesa, que pediu para observar o jogador em Portugal. Não nos parece oportuno, porque há que ter bom senso", afirmou o dirigente madrileno à estação televisiva Cuatro.

Florentino Perez insiste que o jogador, lesionado no tornozelo direito, "não está em condições para jogar", e que essa impossibilidade será constatada pelos médicos da federação portuguesa.

"Devemos tentar normalizar uma situação que nunca devia ter deixado de o ser, porque para o Real Madrid é um orgulho que os seus jogadores representem as suas selecções", frisou o presidente dos "merengues".

Florentino Perez explicou que Cristiano Ronaldo "está a cumprir um tratamento especial durante 15 dias", devendo posteriormente voltar à Holanda para ser observado de novo por um especialista.

"O senso comum permitirá a todos constatar esta realidade. Não temos nenhuma prova que farão o contrário e que desejem que jogue. Acredito sinceramente que não haverá nenhum problema e que os médicos da federação portuguesa constatarão o estado actual de Ronaldo", concluiu o dirigente espanhol.

Cristiano Ronaldo deverá ser ainda hoje observado pelos responsáveis clínicos da federação, depois de ser finalmente libertado pelo Real Madrid para viajar até Portugal.

Apesar de continuar afastado dos relvados devido ao problema no tornozelo, agravado precisamente ao serviço da selecção portuguesa, no Portugal-Hungria, Ronaldo foi convocado por Carlos Queiroz para os decisivos "play-off" de apuramento ao Mundial2010, frente à Bósnia-Herzegovina.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.