O avançado português, João Tomás, mostrou-se, esta quarta-feira, um pouco desiludido por não ter sido convocado para o jogo decisivo da selecção nacional frente à Noruega.

Com 16 golos marcados no campeonato nacional, João Tomás dividiu o posto de segundo melhor marcador da época 2010/2011 com Falcao do FC Porto. Aos 36 anos, o avançado português esperava uma oportunidade para representar a selecção nacional, algo que não aconteceu.

«Neste momento era algo importante na minha carreira, não foi possível e penso que não valerá muito mais falar sobre o assunto. (Situação estranha para quem fez tantos golos?) Estranho não sei, um contra-senso eu acredito que seja. Nós estarmos bem, estarmos a fazer aquilo que nos é pedido e depois o maior reconhecimento que pode haver para um atleta não acontecer. Mas pronto, são situações que acontecem e eu acho que nós temos que pensar que talvez seja por opção e a partir daí continuar a fazer o nosso trabalho que é o que importa.»

João Tomás considerou ainda estar em condições de representar a Selecção nacional e criticou a mentalidade que impera em Portugal relativamente a jogadores com uma determinada idade.

«As pessoas aqui em Portugal criam barreiras demasiado altas para atletas que eu acho que ainda estão no máximo das suas potencialidades. O Saviola fez uma época fantástica no ano passado, permitiu ao Benfica ser campeão. Este ano teve uma época um bocadinho aquém daquilo que se poderia esperar e as pessoas consideram já que é da idade que é isto que é daquilo. É a crença e a maneira de pensar que está implementada aqui em Portugal que está totalmente errada», disse o avançado à margem de uma acção organizada pelo ex-jogador Rui Ferreira para celebrar o Dia Mundial da Criança.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.