“Estou preparado e motivado. Espero dar o meu melhor. Quem vai dizer se jogo é o treinador. Estou aqui para trabalhar e ajudar os companheiros no que for preciso, independentemente de jogar”. Foi desta forma que Liedson falou pela primeira vez como membro da selecção, frisando o ambiente "maravilhoso" que encontrou. “O pessoal carismático recebeu-me muito bem. Está a ser um começo bom. Estou feliz e ansioso por começar a trabalhar”.

O avançado do Sporting, de 31 anos, não teme uma má adaptação à equipa, pois acredita que as "duas semanas de trabalho juntos e os dois jogos" serão suficientes para "ter contacto com o pessoal". "Já joguei com muitos, mas na equipa adversária. Agora vamos estar todos juntos a remar para o mesmo lado, com o mesmo objectivo. É uma experiência muito boa”, vincou.

Liedson reconheceu que a equipa de Carlos Queiroz "tem um caminho longo pela frente” no apuramento para o Mundial. Contudo, o 'Levezinho' deposita esperanças na união do conjunto e salienta a presença de Deco e Pepe, os outros dois jogadores naturalizados no seio da selecção. E decidiu contornar a questão do conhecimento do hino nacional. "Independentemente de cantar o hino, o importante é o sentimento. Tenho respeito e estou feliz por estar aqui, de espontânea vontade e isso é que interessa. Estou feliz por estar aqui e espero ficar muito tempo”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.