“Houve pequenos incidentes, que naturalmente vamos comunicar ao oficial da FIFA. Eu não vi. Sei que cuspiram, insultaram. Mas não vamos empolar isso”, referiu.

Antes do treino da selecção portuguesa em Zenica, Madail adiantou ainda que “não haverá uma queixa formal” e que a FPF vai “comunicar” ao oficial da FIFA.

“De empurrões ninguém falou. Houve insultos, cuspidelas. Isso vai ser dito ao oficial de segurança da FIFA e ele irá tomar nota, mas não houve agressões. Isso seria grave, gravíssimo”, afirmou.

Segundo o líder federativo, este incidente “não abalou a tranquilidade” da equipa, até porque “só alguns jogadores é que se aperceberam”.

“O ambiente já está suficientemente quente. Não vamos pôr mais gasolina na fogueira”, referiu.

Madail adiantou ainda não tem receios para o jogo de quarta-feira, mas sim “confiança num bom resultado, também pelo excesso de confiança” dos bósnios.

“O ambiente vai ser complicado. O treinador deles disse que vai nevar. Esperamos que seja ele a ficar gelado no fim”, disse.

Sobre o estado do relvado, Madail disse que ainda não tinha visto, mas que terá de ser ali que Portugal vai actuar, porque “todos os outros jogaram aqui, de maneira que não há nada a fazer”.

“É a política de compreensão e abertura ao leste que a FIFA e a UEFA gostam de praticar. Quando é para o outro lado, como no nosso caso, tudo o que é pequenas coisas temos de resolver”, concluiu.

Portugal treinou hoje no Estádio Bilino Polje, em Zenica, onde quarta-feira defronta a Bósnia-Herzegovina, em jogo da segunda mão do “play-off” apuramento para o Mundial2010, partindo com uma vantagem de 1-0.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.