"Estivemos um pouco longe da praia, aproximámo-nos, passámos aquela fase da rebentação, e agora é... chegar à praia! Embora ainda haja muitas dificuldades porque as correntes são muito difíceis". A metáfora do apuramento da selecção nacional é de Gilberto Madaíl, ciente das dificuldades que os jogadores vão encontrar em solo bósnio: "Não será um ambiente cheio de cachecóis de Portugal e cânticos à nossa Selecção por todo o lado. Será um ambiente complicado do ponto de vista do entusiasmo."

"Vamos jogar tudo nesta qualificação. Estou muito confiante", acrescentou o líder da FPF, sem esconder a sua "esperança" no reforço da união entre equipa e adeptos: "Independentemente deste resultado na Bósnia, e é certo que os resultados são importantes, acho que vamos conseguir retomar aquela ligação sentimental entre os portugueses e a Selecção."

Confrontado com a sorte que acompanhou Portugal no jogo de sábado, em que os bósnios remataram por três vezes aos postes da baliza de Eduardo, Gilberto Madaíl frisou que o contrário também já aconteceu. "Mesmo no primeiro jogo, na Luz, tivemos oportunidades, que não bolas nos postes, mas que foram jogadas que não tiveram uma finalização com sorte. Mas com bolas ao poste ou sem bolas ao poste, o que interessa é que passemos. Para vós vai ser bom se estivermos todos na África do Sul", reiterou o líder federativo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.