Gilberto Madaíl esteve reunido este sábado com Carlos Queiroz, numa tentativa de se chegar a um acordo de desvinculação amigável e evitar um desenlace conflituoso. Na última sexta-feira, a direcção da FPF esteve reunida, mas foi impossível ouvir o seleccionador, que vinha de Moçambique a caminho de Lisboa, depois de uns dias de férias.

Segundo o jornal Record, Carlos Queiroz deverá ser ouvido terça-feira pelo presidente do Conselho de Disciplina da federação, Marques da Silva, que já inquiriu cinco testemunhas. O desportivo adianta, ainda, que os depoimentos coincidem com os prestados ao IDP (Instituto do Desporto de Portugal), mas a federação preferiu abrir o seu próprio inquérito.

O mais certo, é que ambas as entidades proponham a aplicação das penas máximas previstas nos respectivos regulamentos, três anos no caso do IDP, dois para a federação, e com isto, desencadear o processo de despedimento por justa causa.

Carlos Queiroz terá, alegadamente, insultado um dos membros da brigada Antidopagem ainda durante o estágio da selecção na Covilhã, o que desencadeou o inquérito do IDP.

Madaíl tem cerca de 15 dias para resolver esta situação, já que no inicio de Setembro a selecção tem o primeiro compromisso para a qualificação para o Euro2012 e entre 18 e 20 de Agosto terão de ser enviadas as pré-convocatórias.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.