Convidado pela UEFA a recordar a noite do triunfo de Portugal no UEFA EURO 2016, Nani começou por falar da lesão de Cristiano Ronaldo e dos sentimentos contraditórios que ela lhe despertou.

"A lesão do Cristiano teve um impacto imenso. Quando o vi cair fiquei um pouco apreensivo, mas pensei que ia passar, que a lesão seria tratada e ele voltaria ao relvado. Mas, quando ele depois me diz que não aguenta mais, fiquei arrepiado e triste. Respondi-lhe: 'Não te preocupes, vamos ganhar isto por ti'. No momento em que me colocou a braçadeira, vieram-me as lágrimas aos olhos e fiquei zangado. Ao mesmo tempo, tive uma sensação estranha e só tinha vontade de dizer aos meus colegas: 'Vamos lá! Agora temos de jogar ainda melhor'. Lutámos por ele e ajudámos a ganhar o título. Um tributo merecido a um jogador que tinha dado muito à equipa e ao país e que até então no torneio estava a ser decisivo", recordou Nani.

O extremo recordou, depois, o golo de Éder e a a "explosão de alegria" que o mesmo lhe provocou. "Eu estava mais encostado ao flanco quando o Éder recebeu a bola no meio. Quando o remate partiu, vi a bola fazer um efeito um pouco estranho, como que a planar na relva. E quando ela entra na baliza...Foi uma explosão de alegria, o melhor momento do torneio! Foi tão bom proporcionar esta alegria ao nosso povo, que acreditava na conquista do título e o manifestou várias vezes ao longo do torneio. O facto de ter sido frente à França, com quem tínhamos contas a ajustar, e no seu reduto, tornou as coisas ainda mais especiais", acrescentou o agora jogador do Orlando City.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.