Paulo Bento foi hoje apresentado como o novo seleccionador nacional, na sede da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), e desfez a ideia de que poderia sentir-se como uma "segunda escolha", depois do convite formulado a José Mourinho.

"Qualquer entidade, seja a Federação ou um clube, quando quer fazer uma escolha não tem só uma solução. O presidente tinha legitimidade para esgotar todas as soluções. Não tenho qualquer fragilidade por o presidente ter tentado um dos melhores treinadores do mundo, senão mesmo o melhor. É até um motivo de orgulho poder ser opção a seguir a um dos melhores do mundo", afirmou esta tarde Paulo Bento, numa conferência de imprensa longa e onde o seleccionador, de 41 anos, respondeu a todas as questões.

O objectivo Euro2012 foi assumido por inteiro por Paulo Bento, apesar de reconhecer as dificuldades de apuramento. "Quero agradecer a confiança que foi depositada em mim e espero alcançar o objectivo do Euro2012. Conto com o apoio de todos, sabendo que é um momento complicado", frisou.

Desde a saída de Carlos Queiroz, no início deste mês, que o ex-treinador do Sporting era um dos favoritos à sucessão. Todavia, o novo seleccionador confessou que o convite só chegou esta semana: "Fui contactado anteontem, na segunda-feira. Tive uma conversa com Gilberto Madaíl, até as conversações ficarem fechadas ontem".

Sobre os objectivos para a selecção nacional, Paulo Bento garante que o caminho e a exigência que lhe foi imposta corresponde à sua ambição pessoal. "A FPF pediu o que pedirá qualquer português. Também não faria sentido se não fosse assim. O Euro2012 é o grande objectivo, apesar de termos noção que as coisas estão difíceis", atirou. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.