Portugal não depende apenas de si para atingir a fase final do Europeu, a disputar na Polónia e na Ucrânia, mas arrepiou caminho com a vitória em casa sobre a Dinamarca e o triunfo na Islândia, após o inexplicável empate em Guimarães com o Chipre e a derrota na Noruega.

Estes dois últimos resultados, com Agostinho Oliveira como seleccionador interino, devido ao castigo imposto a Carlos Queiroz, posteriormente despedido, deixaram Portugal em péssima posição, que Paulo Bento conseguiu contornar, no regresso da selecção lusa às boas exibições e a uma relação próxima com os adeptos.

Portugal teve um desempenho aquém do esperado no Mundial2010, deixando a África do Sul após os oitavos de final com a Espanha, e depois Carlos Queiroz foi suspenso por seis meses pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), devido aos insultos a elementos do organismo que fizeram um controlo no estágio da selecção, na Covilhã.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) acabou por abdicar dos seus serviços – a situação ainda não está resolvida legalmente - e contratou Paulo Bento, antigo técnico do Sporting, após José Mourinho ser impedido de acumular funções com o cargo de treinador do Real Madrid.

O presidente da FPF, Gilberto Madail, chegou a ir a Madrid para tentar convencer Mourinho a suceder interinamente a Queiroz, numa “missão de serviço” nos jogos com a Dinamarca e a Islândia. O técnico estava receptivo, mas as intenções de Madail esbarraram na intransigência do presidente do Real, Florentino Pérez.

Com sete pontos nos quatro jogos realizados, Portugal segue na segunda posição do grupo atrás da Noruega, líder com nove pontos em três partidas, e à frente da Dinamarca, que somou seis em três encontros.

As duas selecções nórdicas defrontam-se a 26 de Março para acertar calendário. Portugal só volta a jogar a 4 de Junho, recebendo a Noruega no mesmo dia em que a Dinamarca joga na Islândia.

Com um bom cruzamento de resultados, Portugal - que em Novembro goleou por 4-0 a Espanha, campeã mundial e europeia, num jogo de preparação em Lisboa - pode fechar 2010/11 na liderança do grupo e apenas dependente de si para atingir o quarto Europeu consecutivo e a sexta fase final de uma grande competição seguida.

Com Paulo Bento 100 por cento vitorioso, a selecção, além de fazer as pazes com os adeptos, regressou às boas exibições, recuperou Cristiano Ronaldo e permitiu-lhe o regresso aos golos, conseguindo ainda resgatar algum do prestígio perdido, sobretudo com a goleada aos espanhóis.

O seleccionador incutiu uma nova dinâmica à equipa e optou por um discurso pautado pela “união, solidariedade, seriedade, ambição e agressividade”.

São estas, aliás, as principais características da nova selecção que, como Paulo Bento refere nas suas intervenções públicas, só será capaz de ser uma grande equipa “se o grande talento individual estiver sempre ao serviço do colectivo”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.