O futebolista internacional Paulo Ferreira fez hoje chegar à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) uma carta dirigida ao presidente Gilberto Madaíl a comunicar “ter posto um ponto final” na sua carreira ao serviço da selecção nacional.

Paulo Ferreira alega “motivos pessoais” e considera ter-se “esgotado” o seu “ciclo na selecção” para justificar uma decisão que foi tomada após “grande ponderação” e dela ter dado “conhecimento ao seleccionador nacional”, Carlos Queiroz, a quem solicitou que não o convocasse para os jogos que se seguiriam ao Mundial2010.

O lateral do Chelsea fala ainda de “dar oportunidade aos novos valores” do nosso futebol e do “orgulho” que sentiu por ter representado a selecção nos últimos oito anos, “com honra, grande dedicação e prazer”, agradecendo “à direcção da FPF, treinadores, jogadores, médicos e massagistas”, com quem conviveu ao longo deste tempo.

“Desde o jogo com a Inglaterra, a 07 de Setembro de 2002, quando experimentei, pela primeira vez, as emoções de ostentar o escudo nacional junto ao coração, até agora, foram momentos de profícua, saudável e extraordinária vivência comum, uma experiência única enquanto profissional e homem”, pode ler-se na missiva endereçada ao presidente da FPF.

A concluir, Paulo Ferreira promete que, agora, deixa de fazer parte da família da FPF, para passar a desempenhar com entusiasmo e emoção o papel de adepto fervoroso da selecção lusa, apoiando-a incondicionalmente.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.