Portugal somou os primeiros três pontos no Grupo A de Qualificação Europeia para o Campeonato do Mundo de 2022 ao vencer em Turim, casa emprestada, o Azerbaijão por 1-0. Um triunfo pela margem mínima, conseguido graças a um autogolo algo insólito perto do final da primeira parte.

A 'Equipa das Quinas' dominou o encontro, controlou a posse de bola e raramente viu o adversário chegar perto da sua baliza, mas não conseguiu criar muitas situações de verdadeiro perigo e teve de se contentar por o 1-0, num jogo marcado por estreias e mexidas no onze.

Muita novidades no onze e primeiros minutos de domínio, mas poucas oportunidades

Com algumas ausências da convocatória devido a lesão - casos de Pepe ou Raphael Guerreiro - e com três jogos para disputar no espaço de seis dias, Fernando Santos apostou em várias novidades e algumas surpresas no 'onze' inicial.

Assim, no centro da defesa, ao lado de Rúben Dias, surgiu Domingos Duarte (segunda internacionalização), e no lado esquerdo do setor defensivo o jovem Nuno Mendes teve, aos 18 anos, direito à sua estreia absoluta na seleção principal, e logo como titular. Mais à frente, com Danilo de fora dos 23 nomes da ficha de jogo, Rúben Neves foi o médio mais defensivo e, no ataque, Pedro Neto jogou de início com Cristiano Ronaldo e André Silva.

Portugal entrou, como era de esperar, dominador, a mandar no jogo e a controlar a posse de bola, mas sem grande velocidade nos minutos iniciais e sem criar real perigo no primeiro quarto de hora. As exceções foram dois remates de longe, um de Rúben Neves e outro de João Cancelo, defendidos de forma algo apertada pelo guarda-redes do Azerbaijão.

Golo (insólito) surge mesmo sem acelerar

A primeira real situação de golo surgiu ao minuto 18. Grande passe de Cristiano Ronaldo - que esta noite somou mais um recorde - a isolar Domingos Duarte, que dominou bem com o peito mas, na cara do guardião adversário, atirou ligeiramente ao lado. Pouco depois foi o próprio Ronaldo a surgir a cabecear na área após cruzamento de Nuno Mendes, mas sem sucesso.

Apesar de continuar a não impor grande velocidade, as oportunidades começavam a surgir com mais frequência. Cancelo, muito subido no terreno, rematou pouco por cima com um disparo cruzado já bem dentro da grande área do Azerbaijão.

E o golo acabou mesmo por surgir, de forma bastante insólita. No seguimento da melhor jogada de Portugal até então, Rúben Neves obrigou o guarda-redes do Azerbaijão a defesa apertada mas, no seguimento do lance, o guardião abordou mal um cruzamento tirado pelo mesmo Rúben Neves, socou a bola contra um colega de equipa e o esférico acabou por se encaminhar, devagarinho, para o fundo das redes.

Azerbaijão regressa mais afoito

O resultado não sofreu mais alterações na primeira parte e a segunda começou com o Azerbaijão a surgir, pela primeira vez, junto da grande área portuguesa. No seguimento de um livre, Ghorbani saltou mais alto do que a defesa portuguesa, mas cabeceou por cima.

O aviso - se é que assim se pode chamar - não fez com que Portugal, que ao intervalo trocou João Moutinho por Bruno Fernandes, começasse a impor maior velocidade no encontro e no primeiro quarto de hora apenas um livre de Ronaldo desviado pela barreira levou relativo perigo à baliza azeri.

Fernando Santos voltou a mexer, lançando também Rafa e João Félix para dentro de campo, mas as oportunidades de real perigo da Seleção teimavam em não surgir e, a perder pela margem mínima, o Azerbaijão acreditava na surpresa. Os azeris voltaram mesmo a chegar junto da baliza de Portugal com algum perigo, mas Nuriev atirou por cima.

Bruno Fernandes perto do segundo

Só à entrada para o quarto de hora final Portugal criou real perigo na segunda parte. Boa jogada de entendimento do ataque luso, com Cristiano Ronaldo a ajeitar para um remate de Bruno Fernandes que parecia levar selo de golo. Contudo, o guarda-redes do Azerbaijão redimiu-se da falha que tinha tido no lance do golo e, com uma grande defesa, evitou o 2-0. O guardião voltou a brilhar para evitar que João Félix marcasse já à beira do fim

E foi o mais perto que os pupilos de Fernando Santos estiveram de dilatar a vantagem. Até ao final, nota apenas para mais uma estreia na Seleção: João Palhinha, que substituiu Rúben Neves.

Portugal volta a entrar em campo sábado, na Sérvia, na segunda jornada do Grupo A.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.