Um golo de Simão Sabrosa, depois de uma jogada de insistência de Ronaldo, aos 17 minutos abriu o caminho para a vitória. O nº 11 luso voltaria a marcar um grande golo, aos 79, depois de Liedson, que não desistiu à primeira perante o guarda-redes húngaro, ter feito o 2-0 e ter levado o estádio da Luz e os seus 50 115 espectadores ao delírio.

Ainda na primeira parte, e logo após o golo, a equipa lusa viu-se privada de Ronaldo, que se ressentiu da lesão e foi substituído por Nani, que veio dar velocidade ao ataque e foi um dos elementos mais dinâmicos.

Dos pés do jogador do Manchester United saíram duas grande oportunidades, quando Portugal vencia pela margem mínima. Aos 53, num cruzamento perfeito, ofereceu a bola a Raul Meireles, mas o médio do FC Porto atrapalhou-se perante Gábor Babos. Aos 65, remate cruzado, o guardião húngaro defendeu, na recarga Simão rematou para a melhor defesa da noite.

Em 90 minutos, a Hungria só teve uma oportunidade de golo, a primeira de todo o encontro, logo aos seis minutos, por intermédio de Torghelle. Depois disso, nunca mais se viu a selecção magiar, que chegou a este jogo em igualdade com Portugal e com as mesmas possibilidades de alcançar o segundo lugar.

Portugal depende, agora, apenas de si próprio. A vitória ante Malta, quarta-feira, no estádio Afonso Henriques, em Guimarães, dá à Selecção Nacional o segundo lugar do Grupo A e a possibilidade de discutir o “Play-off” que carimba o passaporte para a África do Sul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.