O torneio, considerado o quarto mais importante do futebol feminino mundial, logo atrás de Jogos Olímpicos de Verão, do Mundial e do Europeu, acolhe em Portugal as melhores selecções desde 1994.

A seleccionadora de Portugal, Mónica Jorge, encara a participação nacional na "com optimismo e ambição", mas "consciente" das dificuldades que esta competição apresenta.

“Queremos conseguir o melhor resultado possível. Todos os anos tentamos superar-nos, pois só assim se cresce competitivamente. O objectivo passa sempre por tentarmos dar o nosso melhor", destacou Mónica Jorge.

Em 2008, Portugal cumpriu o Mundialito com resultados bastante positivos e em 2009, repetiu a sua melhor classificação de sempre na competição, o 8.º lugar registado em 2004.

No ano passado, durante a fase de grupos a equipa das quinas venceu todos os encontros, batendo a Polónia (2-1), País de Gales (2-1) e a Áustria (1-0).

A selecção portuguesa está integrada no Grupo C, juntamente com as congéneres da Roménia, Áustria e Ilhas Faroé, três equipas que Mónica Jorge não antevê fáceis.

"Já não há jogos fáceis, até porque todas as equipas têm evoluído de ano para ano. No futebol feminino, o acréscimo competitivo é uma constante. O nosso crescimento também é uma realidade, daí estar confiante que iremos alcançar bons resultados nesta edição", referiu.

"É possível repetir a prestação do ano anterior, mas temos de ter os pés bem assentes na terra, porque os nossos adversários partilham dos mesmos objectivos que nós", observou Mónica Jorge.

A seleccionadora acredita que Portugal "está no caminho certo, porque tem um grupo de jogadoras muito jovens, com enorme qualidade, que tem evoluído com a experiência adquirida em competições como esta".

Entre as 12 selecções que disputam a edição de 2010 do Mundialito de Futebol feminino, as equipas da Suécia, vencedora da última edição, e dos Estados Unidos, detentora de seis troféus na prova, são as que reúnem maior favoritismo à vitória na prova.

As suecas, que na final do ano passado derrotaram as norte-americanas através de pontapés da marca da grande penalidade (5-4) após uma igualdade (1-1) no final do tempo regulamentar, voltam a defrontar, este ano, os Estados Unidos, no Grupo B, onde ficaram integradas juntamente com a Islândia e a Noruega.

O Grupo A é composto pelas selecções de Alemanha, China, Dinamarca e Finlândia, finlandesas que em 2009 derrotaram Portugal, no desempate nos pontapés da marca de grande penalidade, após uma igualdade a um golo no jogo de atribuição dos 7.º e 8.º lugares.

Considerado o quarto mais importante evento do futebol feminino mundial, logo atrás de Jogos Olímpicos de Verão, do Mundial e do Europeu, o Mundialito leva ao Algarve, desde 1994, as melhores selecções.

A ideia é antiga e partiu de uma concentração de esforços entre a Federação Portuguesa de Futebol e os países nórdicos, numa prova que começou com cinco equipas (1994), estendeu-se a oito (a partir de 1995) e chegou às 12 (2002).

Desde então, o modelo tem contemplado três grupos, dois para apurar o campeão e que habitualmente reúnem os países com melhor "ranking" e um terceiro, que define a classificação a partir do 7.º lugar, onde a selecção portuguesa tem presença assídua.

Os dois primeiros classificados de cada um dos grupos defrontam-se na final, enquanto os segundos classificados das "poules" jogam para os terceiro e quarto lugares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.