A Bósnia tem apostado num futebol directo, mas inconsequente pelo que a selecção nacional correspondeu de forma eficaz e bem posicionada, onde Bruno Alves e Pepe têm sido essenciais na segurança defensiva. Aliás, os bósnios estão a ressentir-se da ausência do criativo Misimovic, exibindo-se mesmo alguns ‘furos’ abaixo do que mostraram na Luz.

O primeiro aviso de perigo até foi português, com uma cabeçada de Tiago, aos 5 minutos, após canto de Simão, mas que saiu à figura do guarda-redes Hasagic. Apesar da vontade dos anfitriões, a inspiração era escassa, o que permitiu a Portugal controlar a primeira parte.

Com algumas dificuldades iniciais na construção ofensiva, situação à qual não foi alheia a ausência de Deco, a equipa comandada por Carlos Queiroz começou a rematar de longe: Pepe (12’) e Nani (14’) tentaram, mas os seus esforços saíram demasiado alto.

O primeiro remate digno desse nome dos bósnios surgiu apenas aos 18’, por Ibisevic. O médio arrancou rápido no meio-campo, mas o disparo saiu fraco e à figura de Eduardo.

Aos 24 minutos, Portugal assinou o melhor momento da primeira parte. Uma grande jogada colectiva, em que a bola passou por Duda, Liedson, Nani, Tiago e Raul Meireles, mas o médio português permitiu uma grande defesa a Hasagic.

O jogo entrou então numa fase mais ‘morna’, com os dois ataques a mostrarem alguma inépcia – Simão e Nani não se revelaram ainda capazes de levar perigo ao adversário, e do outro lado Ibisevic era o único elemento perigoso, sendo disso exemplo um remate por cima da baliza de Eduardo (34’).

A Bósnia tentou um ‘forcing’ final, mas sempre com mais coração do que cabeça, pelo que o nulo inicial manteve-se até ao apito de Roberto Rosetti.

Portugal está agora a 45 minutos de chegar ao Mundial 2010, na África do Sul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.