Ave e, pouco mais de um mês depois, estreou-se na selecção portuguesa de futebol, representando já o Sporting de Braga, vice-campeão nacional de 2009/10.

Primeiro, a 03 de Setembro, sentou-se no banco do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, de onde viu o inesperado empate frente ao Chipre (4-4), mas a estreia como titular demorou apenas mais quatro dias.

Na Noruega, alinhou no lado direito da defesa, a posição onde mais gosta de jogar, ainda sob o comando técnico de Agostinho Oliveira, já que Carlos Queiroz estava castigado.

Sobre o papel do novo seleccionador nacional nos bons resultados entretanto obtidos, Sílvio diz não ter uma “opinião muito formada”, pois não teve qualquer contacto com o anterior responsável, Carlos Queiroz.

“Posso dizer do Paulo Bento que, por enquanto, parece-me ser uma excelente pessoa e um excelente treinador e que tem feito um bom trabalho na seleção”, comentou apenas.

Já a crença na qualificação para o Europeu2012, que decorrerá na Polónia e na Ucrânia, é total: “Claro que acredito no apuramento, o mais difícil já nós fizemos, empatamos um e perdemos outro jogo, depois vencemos dois jogos difíceis e agora temos tudo para passar”, disse.

Ressalvando que “o que interessa é ser chamado” e que “a concorrência é forte” dos dois lados, Sílvio considera que, com o regresso de Bosingwa (vários meses afastado por lesão), “se for à selecção deve ser para lateral esquerdo”.

“Fiz a minha formação toda na esquerda, como sénior joguei na direita, sou destro, mas jogo bem com o pé esquerdo. Sinceramente, prefiro jogar na direita, mas se me meterem na esquerda faço o meu papel perfeitamente”, assegurou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.