O treinador brasileiro Tite confessou, esta segunda-feira, que foi abordado pela Federação Portuguesa de Futebol para perceber se teria disponibilidade para assumir o comando técnico da seleção portuguesa, substituindo assim o recém-saído Paulo Bento.

“Houve sondagens, mas não houve uma busca direta”, começou por dizer, confirmando de seguida o seu interesse em ocupar o cargo: “quando é um projeto de seleção é sempre algo grandioso”, afirmou em declarações ao canal televisiovo ESPN.

O técnico de 53 anos que está atualmente sem clube, revelou ainda que esperava ter sido o sucessor de Luiz Felipe Scolari na seleção brasileira (escolha recaiu sobre Dunga): “Preparei-me para isso”, adiantou.

O carinho do publico é algo que não passa despercebido ao técnico, que se sente reconhecido pelo trabalho que tem desenvolvido ao longo da sua carreira.

“Saio à rua e percebo que o meu trabalho é reconhecido, nomeadamente nos últimos cinco anos, com a Libertadores, Mundial de Clubes, Campeonato brasileiro. Não é questão de ser o melhor, mas o momento do meu trabalho era muito forte”, explicou.

Ao longo da sua carreira, Tite passou por vários clubes, com destaque para o Corinthians, onde conquistou uma Taça Libertadores (2011/12), dois campeonatos brasileiros (2005 e 2011) um Campeonato do Mundo de Clubes (2012) e uma Recopa Sudamericana (2013). Além disso, venceu uma Copa Sudamericana ao serviço do Internacional (2008), uma Liga dos Emirados Árabes Unidos (2009/10), um Campeonato Brasileiro da Série B pelo Atlético de Mineiro (2006) e uma copa do Brasil pelo Grémio de Porto Alegre (2001).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.