O português Adrien Silva marcou hoje um dos golos da vitória por 2-0 da Sampdoria frente à Roma, de Paulo Fonseca, para a 34.ª jornada da liga italiana de futebol, de consagração para o virtual campeão Inter de Milão.

Adrien Silva estreou-se a marcar pela Sampdoria aos 45 minutos, com um remate em posição frontal, na sequência de uma deficiente reposição de bola do guarda-redes da Roma Daniele Fuzato, e o checo Jakub Jankto aumentou a vantagem para 2-0, aos 65.

Num jogo em que por três vezes a Roma colocou a bola no fundo da baliza da Sampdoria, em lances anulados por fora de jogo, a equipa orientada por Paulo Fonseca desperdiçou ainda uma grande penalidade pelo bósnio Edin Dzeko, aos 71 minutos.

A Sampdoria, que na próxima jornada defronta o virtual campeão Inter, segue no nono lugar, com 45 pontos, enquanto a Roma, que não ganha para a Série A há quatro jogos e foi goleada pelo Manchester United (6-2), para a Liga Europa, é sétima, com 55.

O golo de Adrien Silva não foi o único de um português no campeonato italiano, já que Cristiano Ronaldo marcou os dois da Juventus na reviravolta no campo da Udinese (2-1), num triunfo que reforça a equipa de Turim nos lugares de acesso à Liga dos Campeões.

Ronaldo bisou aos 83 e 89 minutos, o primeiro na marcação de uma grande penalidade, e deu o triunfo à Juventus, no dia em que o Inter Milão foi confirmado como o novo campeão da Serie A, terminando a hegemonia de quase uma década da ‘vecchia signora’.

O capitão da seleção portuguesa passou a ter 27 golos marcados na Serie A e reforçou a liderança da lista de melhores marcadores, com o belga Lukaku (Inter Milão), seu principal perseguidor, a somar 21.

A Udinese, que segue a meio da tabela (11.º classificado), ainda sonhou com a vitória, depois do golo do argentino Nahuel Molina, aos 10 minutos, tendo mantido essa vantagem até perto do final do encontro.

Com este triunfo, a Juventus igualou a Atalanta e o AC Milan no segundo posto, com 69 pontos, e aproveitou da melhor forma o empate caseiro do Nápoles (1-1) com o Cagliari, que deixou a equipa do português Mário Rui fora dos lugares de ‘Champions’.

A Atalanta ‘entregou’ o título italiano de futebol ao Inter Milão, depois de empatar no campo do Sassuolo (1-1), num encontro em que desperdiçou uma grande penalidade, na 34.ª jornada do campeonato.

Depois de vencer o lanterna-vermelha Crotone (2-0), no sábado, o Inter Milão ficou a um ponto de conquistar o ‘scudetto’ e com a possibilidade de festejar o título já hoje, caso a Atalanta, segundo classificado, não vencesse o Sassuolo, situação que acabou por acontecer.

Este é o primeiro título da Serie A do Inter desde 2009/10, na altura treinado pelo português José Mourinho, e põe fim ao domínio da Juventus, vencedor dos últimos nove campeonatos.

Em casa do oitavo posicionado da prova, a tarefa da Atalanta ficou bem mais difícil quando o guarda-redes Gollini foi expulso, aos 23 minutos, mas, mesmo assim, a equipa forasteira colocou-se na frente do marcador, aos 32, pelo alemão Gosens.

Na segunda parte, Berardi refez a igualdade na marcação de uma grande penalidade, aos 52 minutos, e igual oportunidade teve Muriel, aos 76, mas o colombiano desperdiçou o penálti e não conseguiu dar nova vantagem à Atalanta.

Com esperança de chegar à ‘Champions’ continua a Lazio, sexta classificada, a dois pontos dos lugares de acesso, depois de vencer em Roma o Génova, por 4-3, com um ‘bis’ do argentino Correa.

Num duelo entre equipas do meio da tabela, Bolonha e Fiorentina empataram a três golos, num encontro em que Rodrigo Palácio se tornou no jogador mais velho da história da Serie A a assinar um ‘hat-trick’.

Com 39 anos e 86 dias, o avançado argentino, que também passou pelo Inter Milão e pelo Génova, depois de ter dado nas vistas no Boca Juniors, fez os três golos do Bolonha.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.