Cresce a tensão entre Mario Balotelli e o Brescia. O jogador e o clube começaram a distanciar-se com as repetidas ausências do avançado no regresso aos treinos, e agora Balotelli terá exigido o pagamento do ordenado referente ao mês de março.

Segundo o clube, os jogadores tinham acordado abdicar desse mês de salário, por causa da pandemia da COVID-19.

"Penso que o Mario Balotelli é o único futebolista europeu em atividade que teve a audácia de exigir o salário do mês de março, no meio da pandemia do coronavírus e com as atividades desportivas suspensas", considerou Mattia Grassani, advogado do presidente do Brescia, em declarações à 'Gazzetta dello Sport'.

"Além do mais, o Brescia já perdeu a conta aos avisos enviados pelo jogador, sempre de noite, a queixar-se da impossibilidade de treinar e de haver alegadas atitudes discriminatórias em relação a ele. Nos últimos 10 dias mandou três, sempre entre as 20 e as 23h30, quando os escritórios do clube estão obviamente fechados", acrescentou.

O empresário do jogador, Mino Raiola, acusa o clube de discriminação. "A verdade virá ao de cima. Vou dizer ao Mario para escrever os emails ao senhor Grassani de manhã. O problema é que o Brescia só o deixa treinar sozinho às 19h00. É normal que ele escreva os mails depois das 20h00, quando regressa a casa e verifica que está a ser discriminado", afirmou o empresário.

"Não sabia que o Brescia ainda não tinha pago o mês de março e sinceramente parece-me normal que ele reclame o seu salário, depois de três meses sem receber. Gostava de saber se o senhor Grassani pediu aos seus clientes os pagamentos em março...", atirou Mino Raiola.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.