Franco Colomba, treinador demitido pelo Bolonha na véspera do primeiro jogo do campeonato italiano, considerou hoje que tinha sido melhor se tivesse sido dispensado há dois meses, lamentando “não contar para nada” aos olhos dos seus superiores.

“Pelo que fiz, era melhor que me tivesse dispensado há dois meses. Não contei para nada, não me respeitaram. Todas as minhas sugestões foram destruídas e ridicularizadas”, afirmou Colomba.

Colomba desmentiu também “não ter aderido ao projecto de fazer jogar os jovens jogadores (razão pela qual foi demitido), assegurando ser uma pessoa que “gosta de desafios”.

“No início, estava de acordo sobre tudo, mas depois seleccionei as ideias. Para ser forte, um treinador deve ser defendido pelo clube. Mas isso não aconteceu, com o tempo ficou pior”, explicou o treinador que chegou há menos de um ano ao Bolonha.

Colomba estava pronto para colocar a jogar os jovens recrutados pelo Bolonha, mas não para já.

Segunda-feira, o Bolonha empatou a zero com o Inter de Milão, detentor do título, com o treinador da equipa de jovens, Paolo Magnani, sentado no banco como técnico interino.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.