O 'Special One' responsabiliza a comunicação social pelo que lhe possa vir a acontecer, na sequência das ameaças de morte recebidas nos últimos dias. De acordo com a imprensa inglesa, várias páginas de internet conotadas com movimentos fundamentalistas islâmicos ameaçaram o português. "Este homem é louco e deve ser calado de imediato", escreveu um dos utilizadores de uma dessas páginas.
Na origem da polémica estão as palavras do treinador português a propósito do Ramadão, em que Mourinho assumiu ter substituído o médio Muntari, no jogo com o Bari, por este estar alegadamente em má condição física. É que o respeito desta tradição religiosa islâmica impõe o jejum do nascer ao pôr-do-sol. "Se por acaso algo me acontecer, a responsabilidade será vossa. A situação criada em torno do Muntari é da vossa responsabilidade. Eu sei o que disse. Eu referi que vocês não podem criticar a decisão do Muntari porque se trata de uma questão de fé e religião", atirou o técnico do Inter de Milão.

O tema das ameaças acabou por dominar a conferência de imprensa de antevisão do dérby com o AC Milan, mas Mourinho tentou esclarecer o assunto. "Isto quer dizer que eu aceito a atitude de Muntari. Nunca disse que ele deveria esquecer a sua fé. Se alguém na comunidade islâmica está aborrecido comigo, a culpa é vossa", disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.