Não correu como planeado o dérbi de Roma para Mourinho. O técnico português viu a sua equipa ser derrotada pela Lazio e, no final, foi impedido de falar com os jornalistas.

Isto porque a Lazio decidiu que os órgãos de comunicação social não poderiam estar na sala de imprensa, devido as restrições provocadas pela COVID-19. Quem quisesse fazer perguntas a Mourinho e Sarri, tinha de enviar as questões ao assessor de imprensa da Lazio e este perguntaria aos técnicos. Mourinho não gostou nada desta regra.

"Quem decide estas coisas? A Lazio decide para o seu treinador, eu quero falar com a imprensa. Não há respeito por quem trabalha. Essa regra é um disparate, quero falar com a imprensa e não me deixam. O assessor de imprensa não é jornalista", lembrou Mourinho, visivelmente alterado com a situação.

No final do jogo, Mourinho criticou a atuação da arbitragem.

"Gostaria de começar a análise com algo positivo. Estive no futebol italiano há 10 anos e tenho de dizer que houve uma enorme evolução ao nível da disposição das equipas para praticarem futebol ofensivo. Em relação ao VAR e à arbitragem. Infelizmente, um jogo fantástico, um dérbi espetacular, foi arruinado pelo árbitro e pelo VAR, que não estiveram ao nível de um jogo destes. Onde ficaram o segundo amarelo para o Lucas Leiva e o penálti sobre o Zaniolo", referiu o técnico português.

A Roma segunda derrota da temporada na liga italiana de futebol, ao perder com o eterno rival Lazio, por 3-2, num frenético dérbi da capital italiana. Com este resultado, a Roma manteve a quarta posição, com 12 pontos, a quatro do AC Milan, que lidera provisoriamente a Serie A, enquanto a Lazio passou a ser sexta, com 11.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.