O presidente da Federação Italiana de Futebol, Roberto Fabbricini, mostrou-se esta segunda-feira 'chocado' com as ideias difundidas por um grupo de adeptos mais radicais da Lazio que pretendiam a interdição de mulheres nas primeiras filas do seu sector no Estádio Olímpico de Roma.

Em declarações à Rádio Anch'io Sport, Roberto Fabbricini foi confrontado com as informações veiculadas pela imprensa desportiva italiana de que tinha sido distribuídos 'panfletos' no Estádio Olímpico de Roma a exigir a interdição de mulheres em certos sectores do recinto desportivo.

"Foi a piada de mau gosto deste verão", começou por dizer o dirigente italiano sobre mais uma polémica em torno das ideias de extrema-direita veiculadas pelos adeptos 'ultra' da Lazio.

"Quando falamos dos estádios enquanto locais que deveriam voltar a ser pontos de encontro para famílias, entrar nesta conversa de criação de 'guettos' parece-me simplesmente estúpido", atirou Fabbricini.

A imprensa italiana veiculou esta segunda-feira que os alguns dos responsáveis pela distribuição dos panfletos tinham sido identificados através de câmaras de videovigilância e que os referidos panfletos tinham sido entregues ao Procurador que irá agora investigar mais um caso polémico em torno de adeptos radicais da Lazio.

"A Curva Norte representa para nós um local sagrado. Um ambiente marcado por um código que não é escrito mas que tem de ser respeitado", podia ler-se num dos panfleto assinado "Direttivo Diabolik Pluto" e distribuídos na bancada norte do Estádio Olímpico de Roma.

"É nas primeiras filas que, como sempre, vivemos a nossa 'linha da frente nas trincheiras'. Não admitimos aqui mulheres, esposas ou namoradas, por isso, se este for o caso, convidamo-la a sentar-se 10 linhas de cadeiras atrás. Aqueles que escolhem o estádio como uma alternativa a momentos de lazer ou a um passeio no Villa Borhese (um dos principais parque em Roma), aconselhamos a mudar para outra área", pode ler-se no referido panfleto.

Recorde-se que esta já não é a primeira vez que os adeptos 'ultra' da Lazio criam polémica em Itália e que o próprio clube foi condenado no ano passado a pagar uma multa de 50 mil euros depois de terem surgido imagens de Anne Frank, uma das vítimas do Holocausto, em vários pontos do Estádio Olímpico de Roma com uma camisola da AS Roma acompanhada de mensagens anti-semitas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.