Os clubes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), que hoje se reuniram em assembleia geral extraordinária, decidiram que o segundo escalão de futebol será, na época de 2016/2017, reduzido de 24 para 22 equipas.

Isto significa que já nesta temporada de 2015/2016, cinco equipas vão ser despromovidas ao Campeonato Nacional de Seniores, de onde subirão apenas três formações.

Luís Duque, presidente da LPFP, partilhou que esta reformulação dos quadros competitivos não ficará por aqui.

"Já tomamos esta primeira iniciativa na II Liga, mas podemos vir a dar mais passos na redução dos quadros competitivos", disse o dirigente, completando: "Isto será um processo dinâmico para beneficiarmos o futebol, tornando-o num espetáculo mais aliciante".

Ainda nesta reunião ficou decidido que a Liga vai apoiar os custos da instalação de um relvado natural no Estádio do Bessa, substituindo o atual de relva sintética, de forma a que o clube possa já esta época cumprir a deliberação da Liga de proibir terrenos artificiais nos escalões profissionais.

"Internamente vamos arranjar um mecanismo para apoiar o Boavista porque consideramos que se trata também de um benefício para a competição", sublinhou o presidente da LPFP.

Foi também deliberado que a Taça da Liga terá o seu modelo reformulado, levando a uma redução dos jogos desta competição em quase metade (passa de 83 para 48), numa decisão que resulta do desagrado dos clubes pela elevada carga de jogos a que eram sujeitos.

"Quisemos reduzir os custos com os jogos, mas sem que a prova perca o interesse comercial e desportivo que esteve na sua origem da competição. Acreditamos que mesmo reduzindo os jogos a Taça da Liga continuará a ser atrativa", apontou Luís Duque.

O presidente da LPFP considerou que apesar de todas as alterações hoje aprovadas "ainda há muita coisa a melhorar".

"É importante o sinal que os clubes hoje deram sobre as alterações que foram aprovadas e que resultam essencialmente de coisas que no decurso desta época desportiva fomos analisando", disse o líder da Liga.

"O trabalho de casa estava feito, foi preciso encontrar alguns consensos com os clubes, e perdemos algum tempo em questões de artigos, mas estou satisfeito com que foi conseguido", completou.

Recorde-se que já durante a tarde foi aprovado a limitação para três do número de jogadores que cada clube pode a emprestar a outro do mesmo escalão, por temporada.

A decisão entra já em vigor na próxima época, 2015/16, e estabelece, ainda, os jogadores emprestados não podem representar o clube de origem.

Apesar de inserido no tópico de debate desta reunião, a proposta do Sporting para que a designação dos árbitros para os jogos dos campeonatos profissionais regresse ao modelo de sorteio, ao invés da atual nomeação, acabou por não ser deliberada.

Uma vez que a reunião se prolongou desde o início da tarde até depois das 22:00, a mesa da Assembleia Geral decidiu protelar o debate do tema para o próxima reunião magna, a realizar-se a 29 de junho, às 14:30.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.