O treinador do Benfica considerou justo o desfecho que culminou, no sábado, com a conquista, pela terceira vez consecutiva, da Taça da Liga de futebol, mas reconheceu que a equipa terminou cansada e em dificuldade.

«Fomos a única equipa a criar oportunidades de golo na primeira parte e passamos grande parte desse tempo em acções ofensivas», afirmou Jorge Jesus em conferência de imprensa, após os "encarnados" terem derrotado o Paços de Ferreira na final, disputada em Coimbra, por 2-1.

Segundo o técnico, «o Benfica fez dois golos e podia ter chegado ao intervalo a ganhar por 3-0 ou 3-1, se o adversário tivesse aproveitado o penálti para encurtar a vantagem».

«O Paços de Ferreira conseguiu equilibrar o jogo no segundo tempo, mas não criou oportunidades de golo», disse Jorge Jesus, sublinhando que o tento adversário foi conseguido através de um autogolo de Luisão.

O treinador “encarnado” reconheceu que «a equipa mostrou algum cansaço, revelando algumas dificuldades físicas e anímicas, ainda não recuperada do jogo de quarta-feira, contra o FC Porto».

E enfatizou a presença dos adeptos: «Os adeptos foram os grandes obreiros desta vitória, ao apoiar-nos até ao fim, depois de encher o Estádio de Coimbra».

Relativamente à conquista da Taça da Liga, afirmou: «O valor desta vitória é o mesmo do ano passado, pois, independentemente do resultado de quarta-feira [afastado da Taça de Portugal pelo FC Porto, na Luz] e do título nacional, esta final era um objectivo calendarizado para o Benfica».

Por fim, Jorge Jesus apontou a competição europeia como próxima meta: «Se vencermos a Liga Europa, essa conquista terá tanto valor como sermos campeões nacionais».

«Tal como nós, o Sporting de Braga, o FC Porto e o Villarreal têm grande valor, eliminaram grandes equipas e não vai ser fácil para ninguém», concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.