A polícia «tomou algumas medidas para salvaguardar alguma coisa que corra menos bem» na final da Taça da Liga, sábado, em Coimbra, disse hoje o comandante distrital da PSP da cidade.

Apesar de o jogo entre Paços de Ferreira e Benfica «ser um encontro de festa, não podíamos deixar de tomar algumas medidas», sublinhou o comandante distrital da PSP de Coimbra, Henrique Gil.

Aquele responsável falava hoje, numa conferência de imprensa, no Estádio Cidade de Coimbra (palco do jogo, com início às 20h45), em que também participaram o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Fernando Gomes, e o director geral da SIC, Luís Marques.

A PSP, «em coordenação com a Liga, teve em conta», designadamente, «a venda dos próprios bilhetes» para o jogo, de modo a fazer com que «os adeptos que defendem mais acerrimamente o seu clube” fiquem distribuídos no estádio em “pontos diferentes», explicou o comissário Henrique Gil, adiantando que, entre estes, os benfiquistas ocuparão uma área da zona sul do recinto e os adeptos do clube de Paços de Ferreira ficarão no topo oposto.

Referindo que não é apenas a PSP de Coimbra que está envolvida na segurança do jogo, Henrique Gil revelou que há elementos de outros comandos da polícia implicados na operação, além do Destacamento da GNR de Felgueiras, que fornecerá, sábado, «quase em directo» informações sobre a deslocação até Coimbra de «grupos organizados de adeptos».

O comissário escusou-se, no entanto, a revelar a quantidade de elementos das forças de segurança que envolve a operação, sublinhando, todavia que «são os suficientes» para garantir que haja segurança e para que a final da Taça da Liga seja uma festa.

O comandante da PSP de Coimbra apela, entretanto, aos adeptos para se dirigirem para o estádio a partir das 18h45 (hora em que abrem as portas), para evitar grandes aglomerados de pessoas perto da hora do jogo, além de que, até ao início do encontro «haverá surpresas», várias iniciativas de animação, promovidas pela Liga.

Sobre as alterações ao trânsito, «serão feitas as habituais» neste tipo de situações em Coimbra, o que significa que algumas das ruas da zona circundante ao estádio serão total ou parcialmente encerradas à circulação automóvel, mas sem impedir o «funcionamento de serviços e estabelecimentos» ali localizados.

Afirmando-se também convicto de que a final da Taça da Liga será uma festa, Fernando Gomes, instado pelos jornalistas, escusou-se, a comentar o alegado diferendo entre a Comissão de Arbitragem da Liga e o Conselho de Arbitragem da Federação, relacionado com a nomeação do árbitro para este jogo.

«Não vou responder, é uma questão de arbitragem, será o presidente da Comissão de Arbitragem a fazê-lo, se assim entender», afirmou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.