O SC Braga venceu, este sábado, o FC Porto por 1-0 na final da Taça da Liga, que se disputou no Estádio Cidade de Coimbra, com golo de Alan. A equipa de Braga sucede assim a Vitória de Setúbal e Benfica na galeria de vencedores da prova.
FC Porto e SC Braga chegavam a esta final da Taça da Liga com o objetivo de encontrar o terceiro vencedor desta prova que já vai na sexta edição, depois de Vitória de Setúbal (1) e Benfica (4).
Face ao último desafio das duas equipas, que curiosamente se defrontaram entre elas, terminando com a vitória portista por 3-1, Vítor Pereira e José Peseiro fizeram algumas alterações nos “onze” iniciais. O técnico dos arsenalistas colocou o internacional português Ruben Micael desde o início, assim como o avançado Carlão. Do lado portista, Vítor Pereira manteve a aposta em Fabiano na baliza, relegando Helton para o banco, e o jovem Abdoulaye integrou o eixo da defesa ao lado de Mangala, deixando Otamendi no banco.
O desafio na cidade de Coimbra começou com um lance muito perigoso perto da baliza de Quim, com Defour a cruzar tenso para área mas Jackson e James a não conseguirem, por pouco, introduzir a bola na baliza.
O primeiro tempo foi pautado pelo equilíbrio entre as duas equipas, enquanto, fora das quatro linhas, os adeptos do clube minhoto se envolviam em confrontos. O corpo de intervenção foi obrigado a intervir na bancada sul do Estádio Cidade de Coimbra, resultando em três detenções e duas assistências.
Perto do intervalo, João Capela viu Mossoró ser derrubado por Abdoulaye dentro da grande área portista e assinalou castigo máximo contra os Dragões. O jovem central portista já tinha visto um cartão amarelo aos 17 minutos – também por falta sobre Mossoró – e neste lance acabou por ver o segundo amarelo e consequente expulsão, deixando a equipa azul e branca reduzida a dez elementos. Na conversão da grande penalidade, Alan não falhou – Fabiano não adivinhou o lado – e inaugurou o marcador no melhor momento para a formação de José Peseiro.
À entrada para o segundo tempo, e face ao cenário de dez jogadores, Vítor Pereira foi obrigado a mexer na equipa: Lucho foi o sacrificado e Otamendi tomou conta do centro da defesa.
Como seria de esperar, o SC Braga, moralizado pela vantagem e com o adversário a jogar um homem a menos, entrou forte na etapa complementar, sabendo também posicionar-se muito bem em campo, o que dificultou o FC Porto.
Com o decorrer dos minutos na cidade dos Estudantes, e com os Dragões mais avançados no terreno, os Guerreiros do Minho tiveram inúmeras oportunidades para dilatar a vantagem em lances rápidos de contra-ataque. Ao minuto 66, Ruben Micael teve tudo para fazer o segundo, após bom trabalho de Alan, mas o médio madeirense não conseguiu colocar a bola numa baliza deserta.
Nos instantes finais da partida, a equipa do Porto gastou todos os trunfos para não sair derrotado da sua segunda final da Taça da Liga, mas foi o SC Braga a levantar a Taça da Liga 2012/2013.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.