Foi um jogo muito disputado, em que a equipa aveirense, apesar de jogar com menos um jogador desde o minuto 89 devido à expulsão de Djamal, nunca baixou os braços e teve ocasiões para desempatar a partida.

A "Briosa" foi ineficaz, pois após o golo madrugador de Éder, aos 16 minutos, nunca mais conseguiu o antídoto para desfeitear as redes adversárias e ganhar a eliminatória. Em apenas duas semanas, sai de duas provas, apesar de ter recorrido da eliminação da Taça da Liga, e esta época nunca conseguiu vencer os aveirenses, dado que para a outra Taça o jogo resultou num nulo.

O Beira-Mar foi mais eficaz e mais feliz na lotaria das grandes penalidades, depois do teimoso empate (1-1) ao fim dos 120 minutos.

A Académica, durante a primeira parte, foi a equipa que teve mais posse de bola e mais possibilidades de dilatar o marcador. Logo aos dois minutos, Sougou assistiu João Ribeiro que rematou forte, obrigando o guardião Bruno Conceição a defender para canto.

Estava dado o mote para o golo inaugural, que viria a suceder ao minuto 16, com Éder a desembaraçar-se de um defesa aveirense, a isolar-se frente a Bruno Conceição, marcando de forma implacável o primeiro golo da partida.

O conjunto de Aveiro reagiu através de Varela que obrigou Ricardo a uma grande defesa para canto perto da meia-hora de jogo. O mesmo Ricardo estaria no epicentro de nova jogada de perigo, desta vez com uma saída extemporânea, pondo em perigo o seu reduto defensivo, aos 32 minutos.

Na segunda parte, a equipa da casa perdeu logo no início uma oportunidade para dilatar a vantagem por intermédio de Sougou, a centro de Éder.

Ao contrário, os aveirenses foram mais eficientes, pois aos 62 minutos coseguiram empatar por Fangueiro que rematou na pequena área e Ricardo deixou entrar o esférico por entre as pernas.

Logo a seguir, na sequência de um canto, Kanu cabeceou, falhando por pouco o alvo.

Já quase no final do tempo regulamentar, o treinador André Villas-Boas foi obrigado a queimar uma substituição, fazendo entrar o guarda-redes Rui Nereu para a lugar de Ricardo, devido a lesão deste último.

O Beira-Mar ficou depois reduzido a 10 elementos, com a admoestação de segundo amarelo para Djamal, após uma entrada dura sobre um jogador da Académica.

Com o jogo empatado a uma bola, foi necessário recorrer a mais 30 minutos de prolongamento. Neste período, os "estudantes" entraram melhor, com o avançado Miguel Fidalgo a poder desempatar, aos 94 minutos, não fosse a intervenção arrojada do guardião Bruno Conceição, a defender com o pé direito.Mesmo com menos um jogador, a equipa da Liga de Honra ia atacando e criando perigo, junto da grande-área contrária.

Na segunda parte do prolongamento, o único lance que causou algum "suspense" foi aos 109 minutos, com Hugo a cortar a bola com o braço à entrada da sua grande-área. Na sua marcação, Orlando atirou à barreira, passando o perigo. Mesmo ao cair do pano, João Ribeiro atira uma bomba à figura de Bruno Conceição.

Na lotaria das grandes penalidades, o capitão Orlando e o defesa Emídio Rafael permitiram a defesa a Bruno Conceição, pelo que os aveirenses, com apenas uma falhada (Kanu), foram mais felizes e passaram à eliminatória seguinte, apesar dos problemas financeiros que assolam a equipa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.