O guarda-redes brasileiro Gustavo Galil inspirou-se no compatriota Diego Alves para ajudar o Leça, do Campeonato de Portugal, a vencer nos penáltis o Arouca, da I Liga, na terceira ronda da Taça de Portugal de futebol.

“O Diego Alves, do Flamengo, é uma inspiração. Foi um especialista em penáltis em Espanha [ao serviço de Almería e Valência] e usa muito o jogo psicológico. Sempre fiz isso, costuma correr bem e hoje assim foi”, contou aos jornalistas o jogador, de 23 anos, ‘herói’ improvável da partida disputada no Estádio do Leça FC, em Leça da Palmeira.

Com quatro defesas em cinco remates, Gustavo Galil empurrou o Leça, atual terceiro colocado da Série C do quarto escalão, para a vitória sobre o Arouca, 16.º da I Liga, no desempate da marca dos 11 metros, por 2-1, após o empate 1-1 no prolongamento.

“Não digo que seja um especialista. Costumo defender alguns penáltis, trabalho muito durante a semana e fui feliz. Consegui fazer um jogo psicológico com eles e deu certo. Importante é que passámos. Já tinha defendido dois penáltis há dois anos contra a Oliveirense aqui também para a Taça de Portugal, mas quatro é inédito e não sei quando farei isto de novo, porque realmente não é uma marca fácil de alcançar”, reconheceu.

A ineficácia de Tiago Araújo, João Basso, Tiago Esgaio e Bukia, intercalada com a frieza de David Calderón e Luís Neves, eternizaram uma tarde de ‘sonho’ para o brasileiro, que não foi capaz de evitar o golo do empate do arouquense Eboué Kouassi a um minuto do fim do tempo regulamentar, em reação ao tento matosinhense de Nuno Barbosa, aos 33.

“É um sentimento difícil de descrever. Não direi com falsa modéstia que não fui talvez o grande nome desta decisão. Sei que fui e sei dessa responsabilidade, mas estou ali para isso e só foi possível graças a todo o espírito de sacrifício dos meus companheiros, da equipa técnica e do ‘staff’. É uma vitória do Leça e fico feliz por ter ajudado”, analisou.

Habitual suplente de João Pinho no Campeonato de Portugal, Gustavo Galil já tinha sido titular nas rondas anteriores da Taça de Portugal, contribuindo para os triunfos sobre Lusitânia de Lourosa (1-0), da Liga 3, e Sporting de Pombal (4-0), dos escalões distritais.

“Ambições na Taça de Portugal? Pensamos jogo a jogo. Claro que hoje vamos desfrutar, aproveitar o momento e, quando voltarmos a trabalhar, pensar no Gondomar. Depois, vamos ver onde o sorteio nos vai levar”, observou, recusando ser um “herói solitário”.

Contratado a meio da época 2018/19 ao Sobrado, Gustavo Galil foi acompanhando a estabilização no Campeonato de Portugal do Leça, que contabiliza quatro presenças na I Liga e seis pontos em três jornadas da Série C do quarto escalão, a três do Salgueiros.

“Não sei o que este jogo pode mudar, só Deus sabe. Fico realmente muito feliz por esta atuação. Quero desfrutar desse momento com os companheiros e com a minha família, que está longe, e ver o que o futuro reserva. O meu foco é ajudar o Leça a atingir os objetivos esta época”, finalizou o guarda-redes, com formação nos brasileiros do Tupi e passagens anteriores pelos juniores do Sport Canidelo e pela equipa B do Varzim.

O Arouca tornou-se o segundo clube da I Liga a ‘cair’ na terceira eliminatória da Taça de Portugal, após o Marítimo também ter sido afastado nos penáltis pelo Varzim, da II Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.