O treinador do Boavista, Jorge Simão, desvalorizou hoje a contestação dos adeptos depois da eliminação da equipa da Taça de Portugal de futebol pelo Vilaverdense, considerando-a natural.

No final da derrota por 1-0 com a equipa do Campeonato Nacional, equivalente ao terceiro escalão, o técnico, juntamente com o dirigente Álvaro Braga Júnior e alguns jogadores, dirigiu-se aos adeptos 'axadrezados' que faziam notar o seu descontentamento pelo desaire, mas os ânimos continuaram exaltados e o técnico foi mesmo atingido por água atirada por um adepto.

Jorge Simão, que foi expulso do banco de suplentes aos 84 minutos, desvalorizou o sucedido na conferência de imprensa após a partida.

"O momento não é fácil, compreendemos perfeitamente a reação dos adeptos, é uma reação de quem vive o clube, de quem sofre pelo clube e é natural depois de um desfecho destes. Não acho que tenha sido pela atitude dos jogadores", disse o técnico que está há um mês no clube portuense depois da saída de Miguel Leal.

Registo ainda para desacatos provocados pelos adeptos boavisteiros no final do jogo que obrigaram a uma intervenção da GNR.

Os ‘axadrezados’ lançaram pedras e outros objetos para a zona de camarotes do estádio do Vilaverdense, provocando ligeiros ferimentos, nomeadamente num braço de uma adepta da equipa da casa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.