Num reencontro de velhos conhecidos do futebol, uma vez que na época passada Moreirense e Paredes disputavam o mesmo escalão, tendo o clube vimaranense conseguido a promoção aos campeonatos profissionais e, no sentido inverso, os paredenses desceram do II para o III escalão, a equipa da casa começou melhor.

Logo aos sete minutos, Bobô dispôs de uma boa oportunidade, mas o remate de cabeça saiu ao lado. O Paredes respondeu ao minuto 14 com um cruzamento de Jaime que Rui não concluiu da melhor forma.

O golo inaugural acabou por surgir de grande penalidade a castigar falta de Bruno sobre Luís Pinto. O médio converteu bem o castigo máximo fez o Moreirense ir a vencer para o intervalo.

Na segunda parte, o conjunto orientado por Jorge Casquilha começou por encostar os pupilos de Fernando Valente à sua grande área. Lico foi o primeiro a ameaçar (50 minutos). Bobô repetiu o cabeceamento falhado do primeiro tempo (aos 53).

Mas o Paredes não baixou os braços e Rui, aos 56 minutos, quase empatava a partida, num remate que rasou o poste esquerdo de Roberto Tigrão.

Na resposta, Bobô desaproveitou a desatenção da defesa forasteira e falhou o 2-0 quando Tiago já estava batido (60 minutos).

Luís Pinto aumentou a contagem do jogo e a contagem pessoal ao bisar aos 66 minutos: após muita confusão na grande área paredense, o médio rematou cruzado sem dar hipóteses ao guardião visitante.

Até ao final da partida destaque para a estreia de Lourenço – avançado formado nas escolas do Sporting, reforço que o Moreirense foi buscar, no último dia de mercado, ao Kerkyra do campeonato grego – que marcou o terceiro golo dos locais, aos 77 minutos, após passe de Antchouet que também tinha saltado do banco há poucos minutos

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.