Os "castores", finalistas vencidos da última edição da prova, sentiram algumas dificuldades para se adaptar ao esquema defensivo do adversário e só nos derradeiros vinte minutos conseguiram traduzir em golos a sua superioridade no jogo.

William, com dois golos, aos 37 e 71 minutos, e José Coelho, aos 77, marcaram os tentos dos locais, enquanto Zé Luís Brito, aos 39, de livre directo, apontou o golo de honra do Aljustrelense, num jogo de fraca qualidade.

Ciel, aos seis minutos, protagonizou o primeiro lance de algum perigo no jogo, numa jogada individual, mas o remate, na área e já sem ângulo, foi defendido pelo guarda-redes, dando a sensação (errada) de um jogo eventualmente interessante.

William, de regresso ao "onze" após três jogos de ausência, inaugurou o marcador aos 37 minutos, de cabeça, beneficiando de um erro defensivo, mas praticamente na resposta, aos 39 minutos, o Aljustrelense repôs a igualdade, num livre directo cobrado por Zé Luís Brito, num lance de belo efeito.

Na segunda parte, já com José Coelho em jogo, o Paços de Ferreira, mesmo sem entusiasmar, construiu várias situações de golo, protagonizadas por Leonel Olímpio, Pedrinha, José Coelho e William, por duas vezes.

À terceira vez, aos 71 minutos, o camisola nove dos locais voltou a recolocar a equipa na frente do marcador, ao corresponder, junto ao poste e de pé esquerdo, a um centro da direita de Mário Rondon, e, seis minutos volvidos, aos 77, José Coelho, desmarcado por Cristiano, surgiu frente a Zé Manuel e rematou para o fundo da rede.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.