Pinto da Costa, presidente do FC Porto, voltou a deixar críticas à ausência de público nas bancadas do Estádio Alfredo da Silva, no jogo contra o Fabril Barreiro, na terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Em declarações à Sport TV antes do jogo, o líder dos 'dragões' acusou o Governo de estar a matar o futebol.

"Vimos muitos adeptos com bandeiras no caminho até aqui, que é sinal que gostariam de estar aqui para que isto realmente fosse a festa do futebol. Infelizmente, não é, porque os inteligentes deste país assim não querem. Há dois ou três meses passeavam nas praias no meio de milhares de pessoas, não se preocupavam com a segunda vaga, só se preocupavam com o bronze. Hoje fecham os estádios e estão a matar o futebol, estão a dar cabo do futebol. Não permitir que num estádio com 22 mil lugares possam ter 10, 20 ou 30 por cento da lotação total... é lamentável, estão a querer matar o futebol, matar clubes como este [Fabril] que estão a lutar para singrar... é triste, ridículo, estúpido que não possa estar público. Ainda ontem no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, houve um espetáculo onde permitiram 40% da lotação", criticou.

"É lamentável, há uma vontade de querer ferir o futebol. Estes responsáveis vão ficar na história de Portugal como as pessoas que querem matar o futebol", acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.