O Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) apresentou hoje o Roteiro Nacional do Desporto, com o objetivo de “agregar esforços de todas as entidades” na retoma desportiva e promover o alinhamento com outros setores da sociedade.

Numa sessão que decorreu na Tribuna de Honra do Estádio Nacional, em Oeiras, o presidente do IPDJ, Vítor Pataco, explicou que o roteiro “representa um esforço transetorial”, numa análise de diagnóstico que o instituto tem vindo a desenvolver junto das federações, associações e clubes desportivos.

“É uma forma de tentarmos agregar esforços de todas as entidades. O instituto vai assumir um papel catalisador e motivador, e envolver, numa lógica de proximidade, as entidades locais, as nossas direções regionais e as câmaras municipais”, afirmou.

Para além do pacote de ajudas financeiras já anunciado pelo Governo, o IPDJ pretende “implementar um conjunto de medidas não financeiras que enriquecem este roteiro”, entre as quais a capacitação de pessoas nas organizações, a utilização dos centros de investigação das universidades e medidas em setores como o trabalho, a saúde ou o turismo.

O retorno do desporto de formação acarreta custos aos clubes e federações, que Vítor Pataco considera ser “um fator limitativo” e “uma barreira”, mas admitiu que algumas modalidades não irão “desenvolver os quadros competitivos totais nos escalões de formação”, num regresso que “será progressivo até à próxima época”.

“Temos esperança de que o plano de vacinação, no início da época, já esteja bastante avançado, que permita algum ‘relaxamento’ e não haja necessidade de testar toda a gente. Não deixa de ser uma barreira, mas, neste momento, não é uma limitação total, até porque há um pacote de medidas financeiras destinadas aos clubes que vão amenizar esse impacto negativo”, disse.

Os objetivos do roteiro assentam, sobretudo, em “potenciar a reputação do setor desportivo na retoma, promover o alinhamento estratégico do setor com as restantes áreas da sociedade, implementar um conjunto de medidas que visa a atividade desportiva em todas as idades e promover boas práticas”.

“Os clubes têm um papel socioeconómico com muito impacto nas comunidades onde estão e que, algumas vezes, é desprezado. São cerca de 10 mil clubes que existem no país e que podem ter um papel fundamental na retoma desportiva, social e económica, e em trazer alegria e cor à vida das pessoas”, expressou.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, não conseguiu marcar presença na apresentação do roteiro, para a qual estava previsto efetuar um discurso de abertura.

Um painel de debate com o tema “Desporto para todos: Novos desafios na promoção de desporto e atividade física”, que contou com a participação da ex-atleta olímpica Susana Feitor, do presidente da Associação de Paralisia Cerebral de Almada Seixal, José Patrício, e do coordenador do projeto “Futebol de rua” da Associação Cais, Gonçalo Santos, com moderação da vice-presidente do IPDJ, Sónia Paixão, encerrou a apresentação do roteiro, que assinalou igualmente o Dia Mundial da Atividade Física.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.