O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou hoje a morte de João Semedo Tavares, fundador da Associação Academia do Johnson, que elogiou pelo "exemplo e ativismo na inclusão dos jovens pelo desporto".

João Semedo Tavares, mais conhecido por Johnson, morreu hoje, aos 50 anos, devido a problemas de saúde, disse à Lusa fonte familiar.

Numa mensagem publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, o chefe de Estado "apresenta as suas sentidas condolências à família e amigos de Johnson Tavares Semedo".

Marcelo Rebelo de Sousa enaltece o trabalho da Academia do Johnson, "associação que tantas vidas tocou no concelho da Amadora e no país", que visitou em fevereiro de 2020.

Nesta nota de pesar pela morte de João Semedo, o Presidente da República "recorda o seu exemplo e ativismo na inclusão dos jovens pelo desporto, que teve o privilégio de conhecer e acompanhar no terreno".

Nascido em São Tomé e Príncipe e criado na Cova da Moura, na Amadora, distrito de Lisboa, João Semedo foi inspirador para centenas de crianças e jovens, que há anos apoiava através de atividades desportivas e sociais.

O seu trabalho social partiu da própria experiência de vida, assumiu a sua passagem pela prisão e fez disso uma lição, que procurou transmitir.

Criou a Academia do Johnson, para promover atividades e iniciativas sociais desportivas, educativas, culturais e recreativas e também para a integração de jovens reclusos e ex-reclusos.

Johnson, que foi jogador e treinador de futsal, fez palestras em que contava o seu percurso, defendendo que o crime não compensa e que o futuro passa pela educação e pelo desporto.

O seu lema "Somos Aquilo que Fazemos!" foi multiplicado nos últimos anos em vários espaços sociais.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.